Igrejas neopentecostais são como o Mcdonald’s, afirma sociólogo

Igrejas neopentecostais são como o Mcdonald’s, afirma sociólogo


O sociólogo e escritor Eduardo Guilherme de Moura Paegle diz em entrevista a revista Carta Capital que as igrejas neopentecostais se parecem com as redes de Fast Food, o que ele descreve como “McDonaldização da fé Cristã”.
Paegle foi um dos estudiosos escolhidos pela Carta Capital para compor a reportagem sobre “a avalanche evangélica”, divulgada recentemente pelo IBGE e usou a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) para o seu exemplo.
Explicando sobre o que seria esse processo de “McDonaldização”, Moura Peagle diz que não importa em que cidade do mundo você está, se entrar em uma Igreja Universal do Reino de Deus vai receber os mesmos cultos e ensinamentos.
“É como pedir um lanche Big Mac”, disse ele que é doutorando pela Universidade Federal de Santa Catarina. Ele aponta ainda que, tanto os cultos quanto a estrutura administrativa da IURD são exatamente os mesmos, com poucas variações.
Os horários de culto também são comparados com a facilidade do Mcdonald’s. “Se o fiel dispõe de pouco tempo, é possível dar ao menos uma passadinha no Drive-Thru da Oração,” comenta o sociólogo que se refere ao método existente em algumas cidades brasileiras, onde o fiel entra com seu carro em uma área específica no estacionamento da igreja e recebe uma oração instantânea.
Recentemente, o bispo Guaracy Santos, da IURD do Brás, também comparou o crescimento do ministério da IURD, da qual ele faz parte com o Mcdonald’s, citando a quantidade de igrejas que a Igreja Universal possui ao redor do mundo com a quantidade de restaurantes do Mcdonald’s.
“O Mcdonald’s está em 125 países, a Igreja Universal está em 190. Ou seja, a gente chegou aonde o Mcdonald’s não chegou”, disse ele durante um programa da IURD TV.
O sociólogo reflete no seu Blog “Livres Pensadores” sobre um modelo “slow food” da qual ele parece sugerir que deveria ser o estilo de vida cristã com maior interação entre as pessoas, passando maior tempo em comunhão.
Uma outra observação do autor com relação à esse tipo de igreja, seria que os fiéis estariam sendo afetados por um consumismo desenfreado.
Fonte: The Christian Post