10 anos sem Chico Xavier

10 anos sem Chico Xavier


Por Roberty Lauar
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.


No último sábado foram completados 10 anos da morte do médium Chico Xavier. Um dos maiores símbolos do Espiritismo no Brasil, Chico nasceu em Pedro Leopoldo e desenvolveu a maior parte de seus trabalhos em Uberaba, em Minas Gerais.
Para o diretor do Instituto de Difusão Espírita de Juiz de Fora, Ademir Amaral, os ensinamentos do médium permanecem na sociedade até hoje, principalmente por divulgar a doutrina de Jesus Cristo. Além disso, Chico Xavier representou também uma força renovadora para o movimento espírita.
Ademir Amaral destaca que a doutrina espírita não difere tanto das outras religiões no que diz respeito a viver os ensinamentos de Cristo. A diferença é a visão mais abrangente que o Espiritismo traz para seus seguidores.
Chico Xavier psicografou mais de 400 livros, sendo todo o dinheiro das vendas repassado para centros de caridade. “Chico Xavier – o filme”, obra baseada no livro do escritor Marcel Souto Maior, levou três milhões e meio de espectadores aos cinemas de todo o país. Já “Nosso Lar”, filme baseado no livro psicografado por Chico, levou quase cinco milhões de pessoas aos cinemas.
Em 1931, em Pedro Leopoldo, iniciou a psicografia da obra “Parnasso de Além-Túmulo, seu primeiro livro. Esse ano, que marca a “maioridade” do médium, é o ano do encontro com o seu mentor espiritual “Emmanuel”...à sombra de uma árvore, na beira de uma represa. O mentor informa-o sobre a sua missão de psicografar uma série de trinta livros e explica que para isso serão exigidas três condições: “disciplina, disciplina e disciplina”.