Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei.

Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei.


Por Roberty Lauar
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.


Kardec passou os anos finais de sua vida dedicado à divulgação do Espiritismo entre os diversos simpatizantes, e defendê-lo dos opositores através da Revista Espírita ou Jornal de Estudos Psicológicos. Faleceu em Paris, a 31 de março de 1869, aos 64 anos (65 anos incompletos) de idade, em decorrência da ruptura de um aneurisma, quando trabalhava numa obra sobre as relações entre o Magnetismo e o Espiritismo, ao mesmo tempo em que se preparava para uma mudança de local de trabalho. Está sepultado no Cemitério do Père-Lachaise, uma célebre necrópole da capital francesa. Junto ao túmulo, erguido como os dolmens druídicos. Acima de sua tumba, se lema: “Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei”.
Os Conceitos da Doutrina Espírita são: Fluido cósmico universal, Causa e efeito, Lei de Progresso, Materialização, Mediunidade, Perispirito, Psicografia, Plano espiritual, Reencarnação e Espiritismo científico.
As Obras básicas do Espiritismo são: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médinus, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese.
O Espiritismo, segundo Kardec – é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal. A Doutrina Espírita é baseada nos cinco livros da Codificação Espírita escrita pelo educador Hippolyte Léon Denizard Rivail, descrevendo sessões em que ele diz ter observado uma séria de fenômenos que atribuiu à inteligência incorpórea dos Espíritos. Sua premissa de comunicação do espírito nunca foi validada por cientistas que estudaram os fenômenos. Seu trabalho foi posteriormente prorrogado por escritores como: Léon Denis, Arthur Conan Doyle, Camille Flamarion, Ernesto Bozzano, Chico Xavier, Divaldo Pereira Franco, Johannes Greber entre outros.
A Doutrina Espírita em particular configura-se em verdadecomo a área de estudos que engloba muitos dos preceitos da ciência, contudo também preceitos significativos da filosofia e sobretudo da religião – neste caso a cristã.
O Espiritismo tem expandindo-se muito e hoje conta com um número expressivo de adeptos em muitos países em todo o mundo, incluindo Espanha, Estados Unidos, Japão, Alemanhã, Reino Unido, Argentina, Portugal e especialmente em alguns países americanos, como Cuba, Jamaica e Brasil, que tem uma das maiores proporções e o maior número de seguidores do espiritismo em sua população.
O termo Espiritismo (do francês antigo “spiritisme”, onde “spirit”: espírito + “isme”: doutrina) surgiu como um neologismo, criado por Kardec para nomear especificamente o corpo de idéias por ele sistematizadas em “O Livro dos Espíritos”.
A apropriação do termo “Espiritismo”, por parte de adeptos de outras tradições espiritualistas, é criticada pelos seguidores contemporâneos de Kardec, que o reivindicam para designar a sua doutrina específica.
O termo “Kardecista” também é repudiado por parte dos adeptos da doutrina que reservam a palavra “Espiritismo” apenas para a doutrina tal qual codificada por Kardec, afirmando não haver diferentes vertentes dentro do Espiritismo, e denominam correntes diversas de “espiritualistas”. Estes adeptos entendem que o Espiritismo, como corpo doutrinário, é um só, o que tornaria redundante o uso do termo “espiritismo Kardecista”. Assim, ao seguirem os ensinamentos codificados por Kardec nas obras básicas, denominam-se “Espíritas”, sem o complemento de “Kardecista”.
Continua na próxima edição