A Crise Financeira Global e a Economia de Mercado

A Crise Financeira Global e a Economia de Mercado


Autor: Stephen Lampe
Tradução: Fernando Ribeiro

 Estamos nos acostumando com as más notícias no que diz respeito ao colapso das instituições financeiras, incluindo bancos comerciais, bancos de investimentos e companhias de seguros assim como a enorme queda das bolsas. Lemos que muitos perderam suas casas por causa da inabilidade em administrar as dívidas. Outros viram suas economias para fins de aposentadoria desaparecer, enquanto centenas de milhares estão perdendo seus trabalhos.
 
Todos os países poderão eventualmente ser afetados e o número de vítimas desta crise global poderá finalmente estar na casa dos milhões, se não dos bilhões. O problema começou nos Estados Unidos da América, onde, movidas pela avidez completa, as instituições financeiras fizeram empréstimos ao povo para comprar casas sem a consideração devida às circunstâncias financeiras de tais compradores.
 
As transações de empréstimo foram executadas através de sofisticado sistema, mas arranjos duvidosos envolveram bancos comerciais e de investimentos, instituições financeiras e grandes companhias de seguros. Milhões adquiriram moradias cujos custos estavam além da capacidade econômico-financeira de cada um. No começo aqueles que emprestaram e entraram nessa corrente fizeram lucros enormes, e o negócio imobiliário transformou-se rapidamente na maior indústria em crescimento como jamais existiu. As instituições financeiras da Europa pularam de cabeça no que pode somente ser chamado de “trem americano da avidez”.

Entretanto, após alguns anos, proprietários já não tinham mais recursos para pagar suas prestações, o sistema enfraqueceu-se e quando os reembolsos encolheram houve o desmoronamento. Finalmente as instituições na corrente do empréstimo tornaram-se insolventes e a engenharia financeira aplicada não pode preservá-las. Algumas foram à falência, outras foram compradas e os vários governos estão entrando com dinheiro para salvar a situação e evitar o colapso total da economia inteira.

O que nós estamos testemunhando é o preço da avidez financeira.

Algumas perguntas levantam-se: Onde estavam os vários governos quando a avidez floresceu e as transações financeiras insustentáveis foram promovidas agressivamente? Qual foi o papel apropriado dos governos no controle da economia? A crise global atual indica que a economia de mercado, o assim chamado “sistema capitalista”, falhou? Os princípios, que são a base na economia de mercado, são seguros?

O problema não é com a economia de mercado, é com o fato que a economia de mercado tem operado por muito tempo em um vácuo moral e ético. Você acha que devemos colocar as barbas de molho, ou não? Será que estamos imunes aqui no Brasil? O  pais das maravilhas?
Dê sua opinião, escreva para: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.