Cidade

O Clã das artes de Lagoa Santa

Por Elvis Pereira
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Fátima Inchausti, José Maria e os filhos participaram ano passado do festival “Lagoa Santa Mostra Sua Cara” realizado pela prefeitura da cidade [Foto: Josiane Soares]Foi aos três anos de idade fazendo desenhos em algumas folhas de papel enquanto sua mãe realizava as duras tarefas de dona de casa que José Maria Ribeiro descobriu o gosto pelas artes. Com o passar do tempo esse desejo foi aflorando em seu coração. Após alguns anos acabou entrando para a faculdade de belas artes. A propósito, foi num curso de desenho que José Maria conheceu Fátima Inchausti com quem é casado há 40 anos. Fátima, a matriarca do Clã é formada em letras, mas resolveu se dedicar 100% às artes ao lado do marido. Dessa união, além de nascerem grandes obras que ganharam admiradores mundo afora, também nasceram dois filhos. Iara Ribeiro e Humberto Inchausti que completam essa incrível família. Ao lado dos pais a prole cria peças exclusivas que cada vez mais ganha adeptos.  
Embora ligados às artes, cada um seguiu uma tendência esbanjando criatividade, construindo beleza e orgulhando a população de nossa cidade.
Para você leitor conhecer um pouco mais a história dessa família que faz das artes, a motivação para seguir a vida, se fortalecendo, indiferentemente, às dificuldades do dia a dia a equipe do JD- Jornal Diferente foi até a casa desses artistas que teem ainda como paisagem privilegiada, a bela Lagoa central. Abaixo você confere a entrevista feita com o patriarca da família. O bate papo foi marcado pelo orgulho e entusiasmo da família em mostrar para nossa equipe e nossos leitores seus belíssimos trabalhos feitos com muita dedicação, disciplina e amor.    
JD - Jornal Diferente:
Guerreiro Medieval peça feita de metal por Humberto Inchausti [Foto: Josiane Soares]Como você avalia o momento das artes no Brasil?
José Maria:

Em minha opinião a arte sempre esteve bem. Para falar a verdade nós nunca encontramos dificuldades nesse meio. Enfrentamos os obstáculos que qualquer profissão tem, mas nada que nos abalasse. Hoje minha família não é rica, mas vivemos bem da arte. Mas também em contrapartida, trabalhamos muito. São horas diárias de criação. Ao invés de reclamar como outros artistas fazem, nós procuramos sempre estar trabalhando.
JD - Jornal Diferente:
O que a arte representa na vida da sua família?
José Maria:

Tudo! Acho que a arte é a experiência mais pura e bela que alguém pode ter para viver a vida. Falando em especial da minha família, é através dela que podemos demonstrar os nossos sonhos, desejos, raivas, alegrias, enfim nossos sentimentos.
Tela feita pela Iara Inchausti a partir de uma foto do pai [Foto: Josiane Soares]JD - Jornal Diferente:
Estando em família, vocês dão palpites na obra um do outro?
José Maria:

Sempre. Mas todos os palpites são técnicos. Nada que prejudique uma obra. Nós até já nos acostumamos com esses “toques”.
JD - Jornal Diferente:
Vocês produzem peças juntos?
José Maria:

Não costumamos fazer isso. Cada um tem um segmento. Eu e a Iara, por exemplo, trabalhamos mais com desenhos e pinturas. Já o Humberto, produz mais escultura, principalmente guerreiros medievais. A Fátima por sua vez segue a linha da pintura em aquarela.
JD - Jornal Diferente:
Você e sua esposa influenciaram seus filhos a entrarem no mundo das artes?
José Maria:

Eu e Fátima nunca colocamos isso como obrigação na vida deles. O que a gente fazia era dar papel e caneta para que eles pudessem rabiscar. De acordo com que iam crescendo, iam convivendo mais com a arte, até porque nossa casa sempre esteve cheia de amigos que também são artistas. Então, quando os dois tomaram a decisão de seguir na carreira, ficamos felizes e os apoiamos.  
São Jorge peça feita de metal por Humberto InchaustiJD - Jornal Diferente:
Você acha que se os governos incentivassem as artes dentro das escolas públicas o campo estaria mais aberto para vocês artistas?
José Maria:

Veja bem, as escolas não têm que formar artistas. A escola precisa funcionar como uma ferramenta de incentivo e abertura para que os alunos que ali estudam possam ficar próximos das artes. Infelizmente hoje os adolescentes não conhecem muito de arte. Isso acabaria se fosse ensinado sim, nas escolas.
JD - Jornal Diferente:
Que dica você deixa para quem está começando no mundo das artes?
José Maria:

Nunca desistir. Esse caminho é árduo, mas com determinação tudo se torna fácil.  
 

Nota de Esclarecimento (MERENDA ESCOLAR)

Diante das informações infundadas sobre a licitação para a compra de alimentos para a merenda escolar, a Prefeitura Municipal de Lagoa Santa, dentro de seu compromisso de transparência e zelo com a coisa pública, esclarece:



1) É destituída de fundamento a informação de que houve superfaturamento na licitação para a compra de alimentos para a merenda escolar no Município de Lagoa Santa. O questionamento a respeito de preços ocorre porque os alimentos foram adquiridos com o compromisso do fornecedor de entregá-los diretamente nas escolas pelo prazo de um ano, muitas vezes em carros refrigerados e em percursos não raro superiores a 60 km.

2) A entrega direta é a única alternativa que dispõem a Prefeitura na atualidade, já que não conta com instalações equipadas para o armazenamento de alimentos e também por representar para a administração pública a melhor alternativa econômica do ponto de vista de custos.

3) É de fácil contestação a informação de que a administração municipal comprou alimentos a preços superiores aos do mercado. Tome-se, por exemplo, o caso da salsicha, que foi comprada em pacotes de 3k a R$ 18,29 (R$6,09 por kg), enquanto o preço de prateleira do produto é superior a R$7,00 .

4) Que a licitação ocorrida no mês de setembro não foi exclusiva para a compra de merenda escolar, abrigando também a aquisição de itens alimentícios e para projetos das demais secretarias.

5) Ao contrário do que foi noticiado, em momento algum faltou, em qualquer escola, creche e instituição conveniada, alimentação para as crianças. Até o fechamento do processo licitatório de gêneros para a merenda, houve remanejamento de alimentos de uma unidade para outra, de modo que nenhuma criança ficasse sem alimentação.

6) Coerente com o princípio de transparência, a Prefeitura disponibiliza ao público, para consulta, o cardápio da alimentação escolar no site www.lagoasanta.mg.gov.br.

7) As fotos que ilustram matérias jornalísticas de dois conhecidos diários de Belo Horizonte não foram feitas em escolas, creches e instituições conveniadas à Prefeitura Municipal. Há, portanto, uma premente necessidade de que o autor identificado nos créditos, explique as circunstâncias em que foram produzidas.

8) Por estar convicta da lisura da licitação, a Prefeitura Municipal de Lagoa Santa coloca à disposição dos interessados os documentos a ela relacionados.
 
Lagoa Santa, 22 de novembro de 2013
Fernando Pereira
Prefeito Municipal


 

DENÚNCIA: Instituto Resgate na Vila Maria sob fiscalização da Secretaria de Educação

O JD - Jornal Diferente recebeu denúncia por email, de um grupo denominado “Grupo Reclama Sempre” sobre fatos supostamente ocorridos no Instituto Resgate, instituição situada no bairro Vila Maria, presidida pelo Pastor Charles Ribeiro e ligada à Igreja Batista Ebenézer e foi verificar a sua veracidade em visita surpresa na semana passada.
Em resumo a denúncia começa da seguinte forma: “Essa instituição, sob a responsabilidade de pastores evangélicos, acolhe e recebe crianças e adolescentes carentes da comunidade, fora do horário escolar para que os responsáveis possam trabalhar. Lá eles contam com professores (cedidos pela Prefeitura de Lagoa Santa), para atividades extracurriculares, auxilio ao para casa, banho e alimentação.”
“Atualmente estão ocorrendo situações que consideramos gravíssimas e que devem ser apuradas pela Secretaria de Educação do município, pela Câmara Municipal, pelos meios de comunicação e pelo Ministério Público. O Instituto está cada vez mais cheio de crianças, pois os gestores, em uma atitude louvável, mas às vezes irresponsável, as necessidades (SIC) de todos que a procuram.”
Os denunciantes dizem que as salas de aulas estão acomodando 50 crianças, tornando-se um local insalubre.
Alegam que foi desmanchada uma das casas existente no local e que o espaço pequeno que os alunos tinham fora de sala de aula, não existe mais e que a Instrução para os professores é que mantenham os alunos dentro de sala de aula. 
Que os espaços externos estão lotados de entulhos, madeiras cheias de pregos, telhas que podem servir de abrigo para escorpiões, etc...
Que a Instituição não tem material pedagógico quase nenhum para auxiliar o professor...
Que os alunos confinados em sala de aula, sofrem com o calor insuportável...
Dizem ainda que os responsáveis por esta instituição apesar da boa intenção em desenvolver trabalho social importante, não tem a mínima noção da parte pedagógica, metodológica e didática de um local que atende alunos fora de seu horário escolar.
Que a prefeitura cede seus profissionais professores e não faz nenhuma fiscalização... Que os profissionais estão sendo tratados como tomadores de conta de crianças e não como professores.
E continuam dizendo que: “A denúncia visa chamar a atenção dos órgãos competentes e da Secretaria de Educação para que façam uma visita à Instituição.”
Que os pais não reclamam, pois não sabem o que ocorre lá dentro... Etc. etc.



1º Email:

Gostaria de fazer uma denúncia relatando o que está ocorrendo no Instituto Resgate, instituição situada no Bairro Vila Maria em Lagoa Santa.

Essa instituição, sob responsabilidade de pastores evangélicos, acolhe, recebe crianças e adolescentes carentes da comunidade, fora de seu horário escolar, para que os responsáveis possam trabalhar. Lá eles contam com professores (cedidos pela  Prefeitura de Lagoa Santa), com atividades extra curriculares, auxilio ao para casa, banho, alimentação. 

É um trabalho muito bonito e elogiável, mas que precisa ser revisto em alguns aspectos já que, na concepção do grupo que represento, ainda está muito AMADOR, em se tratando de se trabalhar com crianças e adolescentes.

Atualmente estão ocorrendo situações que consideramos  GRAVÍSSIMAS e que devem ser apuradas pela secretaria da educação do município, pela câmara municipal, pelos meios de comunicação e também pelo ministério público.

 O Instituto está cada vez mais cheio de crianças, pois os gestores, em uma atitude louvável, mas às vezes irresponsável, as necessidades de todos que a procuram.

A instituição funciona em duas casas com cômodos pequenos que são transformados em salas de aula, com um espaço incompatível ao número de alunos que estão colocando, quando consideramos m² para cada aluno.

Atualmente a situação tem se agravado muito pois,  a instituição está em obras e ocasionando diversos os problemas que nos motivaram a fazer essa denúncia. São eles:

1 - Desmancharam uma das casas e transferiram todo o material físico e principalmente humano para a outra casa;

2 - Existem salas de aula que estão acomodando 50 crianças de 3 anos, tornando-se um local INSALUBRE, pois pouco espaço para muita gente, podendo provocar riscos de doenças  oriundas de bactérias, vírus e fungos, muitas vezes transmitidos em locais fechados com pouca ventilação e muita frequência de pessoas. Somos informados de casos de crianças com catapora frequentando o mesmo ambiente;

3 - As outras salas também com um grande número de crianças e adolescentes juntos num espaço pequeno caracterizando também INSALUBRIDADE;

4 - O pequeno espaço que os alunos tinham fora de sala de aula,  com a obra, não existe mais e a instrução, para os professores, é que mantenham os alunos DENTRO DE SALA DE AULA.

5 - Os espaços externos existentes no terreno da instituição estão LOTADOS de entulhos, madeiras cheias de pregos, telhas que podem servir de abrigo para escorpiões, e outros materiais que ocupam grande espaço e trazem perigo para os que lá frequentam (a maior parte crianças);

6 - O problema de manter os alunos “dentro de sala de aula’ é grande por várias questões que podemos pontuar como:

· A instituição não tem material pedagógico quase nenhum para auxiliar o professor, que fica COMPLETAMENTE, sem recursos materiais para desenvolver atividades variadas e lúdicas de acordo com a faixa etária de seus alunos. Essa falta de material não é só agora com a obra mas é uma rotina;

· Os alunos ficam confinados em sala de aula, sem recursos materiais, com um calor insuportável;

· Imagine você ficando praticamente 4 horas com alunos em sala de aula sem recursos materiais, com calor, sem espaço externo para eles se locomoverem e gastar sua energia. Humanamente, pedagógicamente IMPOSSIVEL.

7 - Os responsáveis por esta instituição, apesar da boa intenção em desenvolver um trabalho social IMPORTANTE para a comunidade, não tem a mínima noção da parte pedagógica, metodológica, didática de um local que atende alunos fora de seu horário escolar.

8 - A prefeitura por sua vez, cede seus profissionais professores para o Instituto Resgate e não faz NENHUMA fiscalização para saber como estão as condições de trabalho de seus profissionais que, na nossa concepção, estão sendo tratados como TOMADORES DE CONTA DE CRIANÇAS e não como PROFESSORES. Afinal, a secretaria de educação de Lagoa Santa deve lembrar-se que ela é responsável pelo bem estar de seus profissionais, na sua maior parte gabaritados, concursados, com especializações.

9 - A situação no Instituto Resgate está insustentável, em termos de condições de atendimento às crianças e de condições de trabalho dos professores que lá atuam.  Acreditamos que, a maior parte desses professores, às vezes, não denunciam, por medo de perder sua vaga, já que como todo brasileiro precisa lutar pela sua sobrevivência e, consequentemente de seu emprego.

10 - Com a parte física da escola do jeito que está, os alunos correm riscos de se machucar, de pegar alguma doença pelas condições precárias de acomodações, como relatado acima e, os professores correm risco também de doenças das mais variadas, além de, se acontecer algum acidente com algum aluno, serem responsabilizados.

11 - É claro que essa obra não poderia acontecer com os alunos e profissionais presentes, para não correrem riscos. 

Quem sabe transferir os alunos para outro espaço, uma escola municipal próxima que tenha salas vagas, por exemplo, até a obra ser concluída.

12 - Temos conhecimento também de que tem dia que falta ÁGUA, imagine! um local cheio de gente, sem água.

A nossa denúncia visa chamar a atenção para os órgãos competentes, principalmente a Prefeitura de Lagoa Santa, representada pela pessoa de sua secretária de educação, para que faça uma visita à instituição. Veja in loco em que condições os alunos estão sendo atendidos, entre aspas, de forma insalubre e sem o mínimo de material para que sejam desenvolvidas com eles, realmente, atividades pedagógicas que auxiliem em sua formação como estudante e como pessoa.

Fomos informados (não é oficial) que a Instituição recebe verbas para esse atendimento, e a fiscalização do destino dessas verbas?

Os pais não reclamam por que não sabem o que ocorre lá dentro, os riscos que seus filhos estão correndo. Eles estão “tranqüilos” pois,  tem um local para deixar as crianças. Vamos ver, esperamos que NÃO, quando acontecer alguma coisa mais grave por lá................... 

E os professores, em que condições estão trabalhando? Sem condições mínimas para desenvolverem, realmente um bom trabalho pedagógico. Estão em um ambiente INSALUBRE, DESORGANIZADO, SEM UMA ACOMPANHAMENTO PEDAGÓGICO ADEQUADO, completamente abandonados pela PREFEITURA, PELA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, que NUNCA , apareceu por lá para ver como funciona. 

Temos conhecimento de que, muitas vezes, recebem ORDENS de uma funcionária da portaria, “DE CONFIANÇA- X9” dos gestores do local,  que não tem nenhuma formação pedagógica nem para vigiar nem orientar professores com formação superior.

Gostaríamos de INFORMAR que esta DENÚNCIA, a partir de HOJE, estará sendo encaminhada ao Ministério Público, aos órgãos de comunicação (TV- radio- jornal), à câmara municipal, ao sindicato dos professores, e compartilhada em “TODAS” as redes sociais.

Solicitamos à Srª Secretária de Educação de Lagoa Santa, que acreditamos ser uma pessoa séria, comprometida com as questões educacionais de seu município,  que faça uma visita, “SURPRESA”, de preferência ainda essa semana, NO HORÁRIO DA MANHÂ, que é o mais problemático, pela superlotação, e tome alguma providência antes que algo GRAVE, ocorra com os alunos ou com algum professor.

Vamos acompanhar os acontecimentos, ver se a Secretaria de Educação, foi verificar as denúncias e, principalmente se tomou providências.

Essa denúncia está sendo feita ANONIMAMENTE por receio de represálias por parte dos segmentos envolvidos, mas mesmo assim esperamos que seja  deve levada a sério. Até a polícia checa denúncias anônimas, que na maior parte das vezes são reais e auxiliam à polícia a elucidar casos graves. 

Esperamos que sejam tomadas providências. E que a Secretaria de Educação faça seu papel. 

AGUARDAMOS A VISITA DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO AINDA ESSA SEMANA NO LOCAL



Pois bem, o JD – Jornal Diferente foi ao local sem aviso prévio, logo após ter recebido a denúncia e foi atendido pela coordenadora Cristiane Silva que afirmou nervosa que não RECEBIAM DINHEIRO PÚBLICO, em resposta a nossa afirmativa de que a Instituição por receber dinheiro público deve dar explicações à sociedade e por isso estávamos lá, para obter as respostas quanto à denúncia. Indagada sobre se o convênio com a Secretaria de Educação, através da cessão de 20 profissionais (2 vigias, 7 professores, 6 agentes de serviço escolar, 4 serventes), da alimentação, do material pedagógico, etc. não caracterizava o recebimento de DINHEIRO PÚBLICO, a funcionária, insistiu em dizer que não, e ainda completou dizendo que a Prefeitura/Secretaria de Educação estava em falta, não fornecendo sistematicamente, alimentação, material pedagógico, material para o Berçário e que já haviam enviado inúmeros Ofícios não respondidos pela Secretaria de Educação. A funcionária disse ainda que o convênio com a Secretaria que deveria ser renovado todo ano em Março, só agora está sendo renovado. Falou que água, luz e telefone são pagos com ajuda de parceiros da Igreja. E finalizou dizendo que a capacidade da Creche é para até 220 crianças em 02 turnos e que hoje conta com mais ou menos 150. 
Quando ainda estávamos lá, chegou uma equipe de representantes da Secretaria de Educação que também vistoriou o local, acompanhada pelo Pastor Charles e breve dará o seu parecer sobre a situação encontrada.
Nossa impressão é de que o local estava limpo e aparentemente dentro das normas, mas ficamos sabendo após nossa estada lá, que dois dias antes os responsáveis pela Creche, já aguardando a denúncia, fizeram algumas modificações ( se fizeram isso, abominamos pois não demonstra atitude de gente temente a Deus – esperamos que não!). 
E para finalizar logo após visitarmos o local e chegarmos à Redação do JD, recebemos outro e-mail, informando que já sabiam da nossa visita ao local e nos parabenizando pela rapidez (O que não deixamos de achar estranho), pois só fizemos nossa obrigação enquanto veículo de comunicação imparcial, independente e ético, mas também para nossa surpresa os responsáveis pela denúncia, neste novo e-mail, o que consideramos grave, comunicam que os responsáveis pela Creche cobram mensalmente R$ 30,00 dos pais dos alunos atendidos por eles. 
Com a palavra a Secretária de Educação, Professora Daniela, que até o presente momento não nos retornou a ligação. (Deixamos claro, que seguindo a ética jornalística, temos por bem sempre ouvir as partes envolvidas)



2º Email:

Caros responsáveis por esse Jornal

Fomos informados que vocês compareceram hoje pela manhã no Instituto Resgate apurando as denúncias feitas por nosso grupo.
Ficamos muito felizes, pois, pudemos constatar a seriedade desse meio de comunicação que vem representando com ética e propriedade o município de Lagoa Santa e Região.
Não poderíamos esperar outra coisa dos profissionais que aí atuam, pois afinal de contas, são cidadãos que devem representar com dignidade, ética e responsabilidade as questões da nossa sociedade.
Queremos parabenizar aos seus gestores que na pessoa de seus representantes, foram até o Instituto e puderam constatar as condições precárias das instalações físicas e as mínimas condições de trabalho em que atuam seus professores.
Gostaríamos de comunicar que o Instituto recebeu também a visita in loco, da Secretaria de Educação, que, para nossa alegria, atendeu ao nosso pedido indo apurar nossas denúncias. 
Gostaríamos de levar ao conhecimento desse jornal, que SUGERIMOS   à SEMED que seja marcada uma reunião com os professores municipais,  que atuam no Instituto Resgate, na própria secretaria, o mais rápido possível, no intuito de apurar, oficialmente, os fatos que ocorrem no local, além de poderem relatar, com o respaldo dessa secretaria, as suas condições de trabalho.
Outra questão que gostaríamos de abordar com esse jornal é que, não temos conhecimento, com segurança, se o Instituto  Resgate recebe “verbas públicas” para manter a instituição, mas queremos INFORMAR,  que os mesmos, cobram a quantia mensal de R$30,00 dos pais dos alunos que são atendidos por eles. 
ACHAMOS que essa cobrança é ilegal, até por que é uma comunidade EXTREMAMENTE CARENTE, principalmente se os responsáveis pelo instituto receberem verbas públicas para se manter.
Esperamos que esse jornal, não fique somente na visita in loco, mas que divulgue, através de ações  CONCRETAS, todas essas irregularidades.
Com a visita do jornal e da secretaria, os gestores do Instituto, não sabemos como, conseguiram maquear, algumas situações que ocorrem no local, não sabemos se foram avisados antes da DENÚNCIA, ou da visita surpresa. 
O fato é que, hoje pela manhã, estavam ajustando algumas situações, irregularidades. 
Aguardamos os encaminhamentos futuros para reverter a realidade apurada, quanto ao funcionamento da instituição, no que tange às questões de espaço  físico e principalmente pedagógico. 
Nos próximos dias, estaremos divulgando nas Redes Sociais, a seriedade desse jornal, em apurar, in loco, as denúncias feitas por nosso grupo e, quem sabe, fazer uma matéria sobre o assunto.
É muito bom saber que podemos contar com vocês.
Continuaremos enviando denuncias para vocês.
Parabéns pela seriedade do trabalho.


 

Copasa informa que o abastecimento de água da cidade continua interrompido

A Copasa informa que após a conclusão dos serviços na adutora localizada na travessia da MG 010, em Lagoa Santa, a tubulação apresentou novos vazamentos. Com isso, o abastecimento de água da cidade continua interrompido, exceto nos bairros Lagoa Mansões, Lapinha, Sangradouro e Aeroporto de Confins.

Técnicos da empresa continuam trabalhando no local para solucionar o problema o mais rápido possível.

O abastecimento emergencial em hospitais, postos de saúde e escolas está sendo feito por caminhões-pipa.
 

Bandidos de alta periculosidade também buscam Segurança, Tranqüilidade e Conforto em Lagoa Santa

Por Roberty Lauar
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.


Tenente Henrique - Comandante da 181ª CIA de Lagoa SantaHá muito tempo atrás, Dr. Lund disse: Aqui sim, é um bom lugar para se viver. Ao longo destes quase 180 anos, inúmeras pessoas vieram morar em Lagoa Santa em busca de paz e tranqüilidade. Cidade pequena, de beleza exuberante, próxima à capital, etc, atraiu, desde sempre, os amantes da natureza e do bem viver. Há dez anos, esta cidade ainda era cortejada e cantada em verso e prosa por ser bucólica e aprazível. Neste meio tempo, vieram o Aeroporto Internacional, a Linha Verde, a Cidade Administrativa, empresas, progresso e tudo o mais. Com eles vieram os problemas pertinentes à falta de infra-estrutura e os de cunho sociais também. Veio ainda junto, o trânsito lento e caótico, a segurança pública precária, a escassez de moradia popular e os demais problemas de uma cidade à porta da modernidade e em franca expansão. Não tem volta, não meu irmão! Agora é agüentar e viver com as conseqüências do progresso desenfreado e enlouquecedor, dizem alguns moradores. Outros - moradores mais antigos e nativos vivem lamentando a perda do sossego de outrora. O transporte urbano virou um caos e não atende os anseios de seus usuários. Por causa disso, no domingo  passado foi publicada matéria no jornal O Estado de Minas, sobre Lagoa Santa com a seguinte manchete – “Trânsito ruim, sensação de insegurança... Problemas de cidades grandes incomodam habitantes de Lagoa Santa e já levam moradores a partir para locais mais distantes ou voltar para BH” e segue dizendo o seguinte: “O paraíso fica com jeito de metrópole”. Pois bem! Há que se convir que tudo nesta vida, muda. Enquanto uns aplaudem e vibram com o progresso, outros lamentam a paz perdida. O que fazer? Na matéria em questão, além de abordar os problemas enfrentados por moradores, dá-se ênfase à sensação de insegurança, vivida pelos cidadãos locais. Mas por que abordaram este tema com estas manchetes? Há ainda outra complementar que diz assim: - “Está perigoso, diz uma moradora”.
Leia mais...
 

Promessas de campanha na área da saúde a pleno vapor

Por Roberty Lauar
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.


No dia 26/09/2013 foram publicados em jornal de grande circulação da capital os editais de Licitação para a construção e reforma de unidades de saúde em Lagoa Santa, conforme segue abaixo:
1 - Construção da unidade de saúde do Palmital
2 - Reforma e ampliação da unidade de saúde do Vila Maria
3 - Reforma e ampliação da unidade de saúde do Visão
4 - Reforma e ampliação da unidade de saúde do Moradas da Lapinha
5 - Implantação do serviço de RX 24h no NOVO PAM com previsão de inauguração até o fim do ano.
As datas para a abertura dos envelopes são:
Para a construção da Unidade do Palmital, 21/10/2013 às 9:30h, a da reforma da unidade do Vila Maria, 22/10/2013 às 9:30h, a do Moradas da Lapinha, 31/10/2013 às 9:30h e as da implantação do serviço  RX 24h no NOVO PAM  e da unidade do Visão poderão ser encontradas através do site: www.lagoasanta.mg.gov.br.
Leia mais...
 

Marcio da Costa Filho (Marcinho) é condenado a 18 anos de prisão

No dia 24 de setembro de 2013 foi realizado no Fórum da Comarca de Lagoa Santa o Juri popular do senhor Marcio em função da acusação que lhe foi feita pelo Ministério Público. (Clique aqui para ver todas as alegações da acusação e da defesa)

DA ACUSAÇÃO

Marcio da Costa Filho foi acusado por ter supostamente praticado o crime de homicídio qualificado (pela torpeza e pela dissimulação) contra a vítima Michele de Paula Cruz, que estava grávida e, conseqüentemente, de ter-lhe provocado o aborto e de ter incinerado o cadáver.
O Ministério Público insistiu na Pronúncia e aduziu que a materialidade é incontroversa e apontou os seguintes indícios de autoria:
(a) Que a vítima comentou com suas amigas que estava grávida do MÁRCIO e que ele não queria assumir a paternidade;
(b) Que ela teria recebido um telefonema de MÁRCIO no dia de seu desaparecimento, marcando um encontro;
(c) Que ela fora vista pela testemunha Mônica, no dia 25 de março, por volta das 16 horas, na porta do Restaurante de MÁRCIO, aguardando por ele. Essa seria a última referência da vítima;
(d) A ossada foi encontrada próximo da Fazenda Santo Antônio, da família de MÁRCIO (laudo de f. 217/218);
(e) O acusado não informou em seu primeiro depoimento que esteve no dia 25 de setembro, à tarde, na Fazenda Santo Antônio.
Leia mais...
 

Dr. Fernando anuncia aplicação de 25% dos recursos do município para a saúde em 2014

Na sexta-feira, dia 30/08, durante a VIII Conferência Municipal de Saude, Dr. Fernando Pereira, anunciou aumento de 10% nos recursos destinados à saúde em Lagoa Santa. O novo valor corresponderá a 25% do orçamento e será aplicado já no próximo ano.  
O Prefeito destacou a intenção de “investir 1/4 dos recursos orçamentários do município para oferecer melhores condições de atendimento à população”. O Secretário Municipal de Saúde, Fabiano Moreira, salientou que o “Executivo trabalha para solucionar os desafios na assistência aos lagoasantenses.”
De acordo com a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Daniela de Oliveira, “as ações sugeridas e aprovadas pela população durante a Conferência vão subsidiar o Plano Municipal de Saúde de 2014 a 2017.”
O público também assistiu à palestra do Professor da Faculdade de Medicina da UFMG, chefe do Departamento de Medicina Preventiva e Social e membro do Projeto Manuelzão, Antônio Leite A. Radicchi, sobre a abordagem “Ecossistêmica da Saúde”. Segundo ele, além do tratamento com remédios, a alimentação, a educação e o ambiente contribuem para o bem-estar da população.
O secretário Fabiano Moreira abordou os desafios e perspectivas do Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil, em Minas Gerais e em Lagoa Santa. Segundo ele, uma das metas é implantar 100% de coletas de exames em todas as unidades de saúde municipais até 2016 e informou também sobre a conquista da UPA – Unidade de Pronto Atendimento que será construída no Bairro Moradas da Lapinha, a construção da unidade de saúde no Bairro Francisco Pereira e o lançamento do Programa “Sorria Lagoa” que irá distribuir kits odontológicos a todos os estudantes da rede pública de ensino.
 

Prefeitura realiza com sucesso nova licitação de medicamentos

Por Roberty Lauar
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Foi realizada no último dia 11/09 nova licitação para a compra de medicamentos pela Prefeitura de Lagoa Santa. Ao contrário dos outros processos, nesse, foi conseguido êxito em quase 100% dos itens licitados.
Conforme informações da Secretaria Municipal de Saúde foram licitados 72 itens de medicamentos (Veja a relação dos medicamentos no site: www.jornaldiferente.com.br), sendo que desse total, 64 foram contemplados e em  apenas 8 o processo se deu deserto ou frustrado (quando fornecedores não comparecem ou não se interessam em vender para a Prefeitura).
O Secretário de Saúde Fabiano Moreira comemorou o resultado do processo licitatório por vários aspectos: “Primeiro porque tiveram presentes 13 empresas disputando o certame, o que demonstra a lisura e a responsabilidade da licitação. O segundo ponto, e que merece destaque é que serão vários fornecedores desses medicamentos, variando de item por item. E o principal fator a ser comemorado é que depois de outros processos licitatórios frustrados (empresas não compareceram ou não se interessaram em vender para o município), agora enfim, obtivemos sucesso”.
O Secretário desabafa conclamando a população a uma reflexão sobre como a instabilidade política prejudica a cidade, principalmente no caso das licitações anteriores, desertas ou frustradas. “Quantas empresas e investimentos deixaram de vir para o município em virtude dessa insegurança administrativa da Prefeitura? É preciso ter sensibilidade, pois quem perde com isso é o povo, principalmente os menos favorecidos”.
Fabiano aproveitou para agradecer toda a equipe de assistência farmacêutica da Prefeitura pelo empenho no processo, juntamente com a equipe da Secretaria de Gestão e a Controladoria que foram fundamentais para o sucesso dessa licitação, sem esquecer todos os demais profissionais da saúde por entenderem que a dificuldade nunca se deu por falta de compromisso e empenho da Prefeitura.

O Secretário Fabiano informa que o próximo passo será a homologação do resultado da licitação, depois, a elaboração dos contratos com as empresas vencedoras e em (aproximadamente 30 dias) inicia-se o abastecimento dos Postos de Saúde e da Farmácia. Ao ser perguntado sobre o valor total da licitação, o mesmo relatou que a licitação em questão foi na modalidade de “Registro de Preços”, ou seja, paga-se somente aquilo que efetivamente for solicitado/consumido. Por causa disso o valor é variável.

 

Secretaria de Saúde exclarece queixas de servidora Fonoaudióloga da Prefeitura

A Secretaria Municipal de Saúde informa que não são verdadeiras as afirmações publicadas na edição nº 40 de 06/09/2013 do Jornal Diferente feitas pela servidora Priscila Fernandes Trindade. Informa ainda, que foram feitas diversas reuniões ao longo dos últimos oito meses, sendo que a última ocorreu na presença do Secretário Municipal de Saúde e também do pai da servidora e que todos os pontos foram esclarecidos e a servidora voltou a atender na Policlínica. A Secretaria esclarece ainda que a servidora estava atendendo provisoriamente na estrutura do CAPS I até que as adequações estruturais necessárias fossem concluídas e que tal necessidade foi previamente comunicada a servidora e que em momento algum a mesma se manifestou formalmente contraria. Durante o período que lá esteve a servidora criou graves problemas de relacionamento com outros servidores (fatos estes comprovados através de diversos documentos emitidos pelos próprios servidores que trabalharam com a mesma).
Diante disso a Secretaria, nesta reunião com a presença do Secretário, visando preservar as partes envolvidas e também única e exclusivamente sanar os problemas de forma pacífica, sem a necessidade de adentrar nos detalhes dos fatos, decidiu em comum acordo, transferir seu atendimento para a Policlínica.
Leia mais...
 


Página 7 de 25