Revitalização da Lagoa Central (Parte II)

Revitalização da Lagoa Central (Parte II)


Na última edição do JD – Jornal Diferente, falamos sobre um projeto relativamente barato, de aplicação rápida e eficiente, ecologicamente correto e que contribuiria para despoluir e revitalizar a bela Lagoa Central de nossa cidade em curto espaço de tempo. Projeto denominado “Jardins Filtrantes” de autoria do Professor Luiz Mário Queiroz Lima, Doutor em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela USC e pesquisador da UNICAMP, autor de 13 livros sobre saneamento e meio ambiente e de mais de 975 estudos e projetos. Recentemente o Professor Luiz Mário esteve em Lagoa Santa no Colégio Renascence proferindo importante palestra sobre os “Jardins Filtrantes”. Segundo ele, trata-se do mais natural, eficiente e econômico sistema de revitalização de rios e lagos, que poderia ser implantado em nossa cidade para tratar a água da Lagoa Central, alem de esgotos domésticos, fossas e efluentes industriais.

O Professor Luiz Mário apresentou um importante sistema de despoluição de águas que ocorre por meio de recursos naturais, utilizando plantas da própria região, escolhidas por seu potencial de tolerância à variação do tempo e tipos de poluentes, para favorecer, a partir de atividade microbiana perto da raiz, a biodegradação, transformação e lixiviação dos poluentes. O sistema é indicado no tratamento de água e rejeitos pluviais como uma etapa complementar do tratamento do esgoto municipal ou na despoluição de rios, integrando belos jardins à paisagem local, tendo sido implantado em várias partes do Brasil e do mundo com grande sucesso.  
Segundo Mércia Marisa Diretora do Colégio Renascence este projeto vêm, com seriedade e compromisso, contribuir para transformar a saúde, a educação e a qualidade de vida nesta cidade e ainda se colocou à disposição para ser um elo da cadeia divulgadora deste importante sistema.

O Mestre em Gestão e Auditorias Ambientais, Luiz Alberto (Betinho), diz o seguinte: “Estive com o Professor Luiz Mário e o mesmo expôs este projeto e confesso que achei muito interessante. Sem duvida os resultados alcançados em outros lugares são impressionantes. No entanto, há de se ter muito cuidado quando se trata de ecossistema e coloquei-me à disposição como Educador Ambiental para ajudar. Esses projetos parecem que são caros, mas esses pensamentos são inverdades, e eu como estudioso do assunto preciso tentar melhorar esta visão que há anos baliza a população brasileira. Como não se consegue mensurar, imediatamente, os benefícios de uma recuperação ambiental ou preservação, fica a população imediatista carente de fatos que a acalentem. Não existe preço para aquilo que nos traz vida!”
Otto Freitas diz o seguinte: “Com relação ao artigo publicado pelo JD - Jornal Diferente sobre o projeto jardins filtrantes, vejo-o como da maior relevância. É o melhor projeto até hoje apresentado, respeitando a integridade da Lagoa sem agredir o Ecossistema ora existente e resolvendo  de forma satisfatória o grave problema do carreamento de substâncias nocivas para dentro da Lagoa, que acarretam assim, mudanças de caráter físico-químico da água, e são extremamente prejudicais. Se concretizado, Lagoa Santa terá ganhado um projeto mundialmente aprovado . Mais uma vez me coloco a disposição para colaborar no que for possível”.

Ângelo Couto, Diretor do Meio Ambiente diz o seguinte: ”O primeiro passo estamos dando, formamos uma comissão para estudar o assunto preliminarmente; composta por Marcos Coutinho, Otto Freitas, Maria Helena, Marcos Salomão e Carlos Alberto (Betinho) que irá avaliar e tentar viabilizar a implantação deste projeto em nossa cidade. O projeto não é caro, mas é preciso buscar recursos, seja da iniciativa privada, do Ministério das Cidades, etc. O ideal é termos os recursos disponíveis para sua implantação definitiva, com isso poderíamos sonhar com esportes náuticos, como canoagem e até mesmo passeios de barco, etc. Não custa nada sonhar! Este é um pedido da população que ainda não foi atendido, a lagoa é extremamente importante para a vida da comunidade. Resgatar sua saúde fará um bem enorme a todos.”

O JD – Jornal Diferente a partir desta edição encabeça uma campanha para a implantação deste projeto denominado “Jardins Filtrantes” o quanto antes, em Lagoa Santa para tanto a cada edição publicará matéria sobre o tema, publicará também a opinião da população local e suas sugestões, assim como ouvirá especialistas e possíveis empresas com interesse em contribuir financeiramente para viabilizar este belo projeto.