Santa Casa se prepara para atendimento do SUS em Lagoa Santa com ajuda do Governo Estadual

Santa Casa se prepara para atendimento do SUS em Lagoa Santa com ajuda do Governo Estadual


O diretor técnico médico acredita que “prestar serviços médicos de qualidade é a melhor maneira para evitar que a população se desloque para hospitais de Belo Horizonte que já se encontram superlotados, sem condições de prestar um bom atendimento e fazendo com que pacientes precisem retornar as suas casas, sem ter o diagnóstico revelado. A ideia é fazer com que inicialmente o nosso atendimento passe de baixa complexidade para média complexidade, de modo que consigamos atender com precisão os pacientes que necessitem das áreas médicas que temos disponíveis e realizar todos os exames necessários na Santa Casa para dar mais conforto aos pacientes”

Nesta sexta-feira dia 30/05/2014 o cidadão Lagoasantense terá motivos para comemorar na área da saude, O JD – Jornal Diferente informa em primeira mão e com exclusividade que o Governo Estadual assinou convênio com a Santa Casa de Lagoa Santa para atendimento exclusivo pelo SUS, ampliando o atendimento à população que necessita desse tipo de atendimento.

O JD – Jornal Diferente, mais uma vez sai na frente e divulga em primeira mão o que vai surpreender a população, uma nova Santa Casa, com mais leitos de UTI, salas para hemodiálise e muito mais. Desde o ano passado a cidade acabou perdendo um local para atendimento quando o diálogo entre a Santa Casa e a Secretaria Municipal de Saude acabou, pondo fim a uma parceria, que poderia sim, melhorar, mas que produziu um desfecho triste principalmente para os usuários do SUS.  A pergunta que se faz é: A Santa Casa deveria ficar fechada, tendo inúmeros equipamentos de ponta em suas instalações? O que deveria acontecer era o ajuste político para as questões administrativas e que fortalecesse as parcerias possíveis, mas isso não aconteceu e acabou havendo uma ruptura total entre a Santa Casa e a Secretaria Municipal de Saude que investiu e assumiu sozinha a administração do novo PAM – Pronto Atendimento Municipal. Com este impasse, nem os filhos de Lagoa Santa conseguem mais, nascer aqui.
Em 13 de fevereiro de 2013, na edição nº 29 o JD – Jornal Diferente estampava a seguinte manchete:

 “Santa Casa de Lagoa Santa investe em infraestrutura e novos equipamentos para melhor atender a população” e em resumo publicou o seguinte:

Há 12 anos na cidade de Lagoa Santa, buscando garantir qualidade e agilidade no atendimento médico, a Santa Casa de Misericórdia, localizada no bairro Brant investe na melhoria da infraestrutura e na compra de novos aparelhos destinados a realização de exames e diagnósticos médicos para garantir à população lagoasantense e região, atendimento preciso e de qualidade. Marcelo Azalim sanitarista da Santa Casa, afirma que o objetivo das obras e dos investimentos realizados pelo hospital é “fazer com que os pacientes da cidade e de toda região tenham atendimento digno com soluções imediatas para todos os casos que chegarem a nossa unidade”.

    Os Serviços de Urgência e Emergência, ou seja, o Pronto Socorro - são realizados através de um convênio entre a Santa Casa e a Secretaria Municipal de Saúde, gestora do Sistema de Único de Saúde no Município, conforme determina a Lei Orgânica de Saúde. Há cerca de um ano o Pronto Socorro é uma cogestão entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Santa Casa. Agora, nesta nova gestão de 2013, a Secretaria de Saúde vem mostrando interesse em assumir totalmente a gestão do Pronto Atendimento Municipal, oferecendo um serviço mais moderno, eficiente e mais abrangente, ou seja, com uma capacidade maior de atendimento. 

    Para que fique compreendido, Hilton Brant Machado, diretor técnico médico da Santa Casa de Lagoa Santa, esclareceu as principais diferenças entre os serviços de urgência e emergência. Ele explica que “a urgência, está relacionada à ocorrência de dores, mas não apresenta risco de morte. A urgência é classificada através do protocolo de Manchester, que define através das cores: vermelha, laranja, amarelo, verde ou azul, a gravidade de cada caso. A emergência ocorre de forma inesperada, que é quando o paciente pode apresentar risco de morte e vai precisar de atendimento imediato”.

Recentemente, a Santa Casa investiu na compra de aparelhos para a realização de cirurgias de catarata, para a cura da opacidade do cristalino. A cirurgia é simples e leva em média 40 minutos para ser realizada. Segundo Hilton Machado, “atualmente, o hospital vem realizando uma média de 60 cirurgias por mês. Junto a este aparelho, adquirimos também a esteira ergométrica, para a realização de exames de eletrocardiograma de esforço, para verificar com antecedência os possíveis casos de insuficiência de irrigação sanguínea para o coração, que pode levar o paciente a um infarto; o Ecobiometro, responsável por verificar o grau da lente que será implantada no paciente (lente intraocular)”. Além desses, o hospital fez a aquisição do aparelho de Ecocardiografia, para realizar exames do coração e ultrassons em 3D – este aparelho foi adquirido na fábrica da Phillips de Lagoa Santa.  O hospital adquiriu também o Arco cirúrgico - para a realização de cirurgias ortopédicas e hemodinâmicas, utilizado para realizar cirurgias em pacientes acidentados com motocicletas;  o aparelho de videolaparoscopia -  para cirurgias de joelhos e abdômen. O aparelho auxilia na realização de cirurgias através do vídeo, evitando cortes profundos, como era feito antigamente para remoção de pedra na vesícula.

    Além da compra dos aparelhos, a Santa Casa de Misericórdia de Lagoa Santa tem realizado obras para ampliar os espaços e criar novas áreas para a realização de consultas médicas.  Segundo Marcelo Azalim, “equipamos 10 consultórios para atender diversas áreas clínicas, como oftalmologia, clínica médica, cirurgia geral, pediatria, angiologia, dermatologia, otorrinolaringologia e urologia. Também faremos atendimentos em áreas não médicas, como psicologia, nutrição, fisioterapia e futuramente teremos também, atendimento na área de fonoaudiologia”.

    Com o objetivo de prestar melhor atendimento aos pacientes que se encontram em observação ou em estado grave, o hospital investiu em 10 novos leitos adultos de CTI – Centro de Tratamento Intensivo – para trazer conforto e tranqüilidade para aqueles que precisam de cuidados especiais, todos os equipamentos necessários para compor a unidade do CTI, foram doados pela Secretaria do Estado da Saúde. Além disso, o hospital criou nova área para atendimentos psiquiátricos, onde os pacientes serão acompanhados 24 horas por dia por uma equipe multidisciplinar formada por psiquiatras, psicólogos e enfermeiros. O ambulatório destinado aos pacientes que utilizam convênios e particulares ainda não está pronto. Marcelo afirmou que “a obra está prevista para ser concluída dentro de 15 dias”.
    Hilton Machado salientou sobre a importância da colaboração da Secretaria Municipal de Saúde. Segundo ele, “É necessário que a Secretaria Municipal encaminhe pacientes que precisem de cirurgias para que tenhamos um volume regular de atendimento no hospital”.