Fashion City Brasil: Surge mais uma verdadeira cidade no vetor norte

Fashion City Brasil: Surge mais uma verdadeira cidade no vetor norte


Por Lucas Amaral
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

O Vetor Norte se prepara para receber um grande complexo inteligente, planejado para a integração da comercialização e informação no ramo da moda. Trata-se do Fashion City Brasil (FCTY), que será uma verdadeira cidade, projetada para proporcionar uma experiência singular de compra no atacado. A inauguração tem programação para 2015 e o local, estrategicamente selecionado, fica a apenas 4 km do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins. O investimento inicial gira em torno dos R$ 280 milhões.
 A proposta, segundo a assessoria de imprensa do FCTY, é revolucionar a dinâmica da pronta-entrega no país e, mesmo antes de seu estabelecimento, já pode ser considerado o melhor centro integrado de negócios do setor na América Latina.  Em uma área de 200 mil m², sendo 86 mil m² de área construída, serão instaladas mais de 500 lojas representando 13 estados brasileiros, mais o Distrito Federal, compondo um mix, que foi estruturado a partir de uma curadoria para garantir uma vasta oferta de produtos de qualidade para os clientes. O plano inicial foi concebido pelo consultor especializado em planejamento e gestão para o mercado da moda Omar Hamdam, que explica que o FCTY “está sendo construído para atender a demanda dos lojistas varejistas de todo o Brasil, incluindo os de Minas Gerais”. Segundo ele, a busca é por um posicionamento de alternativa a São Paulo, único lugar com mix e marcas e produtos de todos os estados.
A empreitada será, ainda, pioneira no modelo one-stop-shop (em português, compras em uma parada), uma tendência atual de negócios onde múltiplos serviços são oferecidos, baseado na idéia de o cliente conseguir tudo que precisa em um único local. Além disso, o comprador desembarca praticamente dentro do mall, representando maior agilidade, conforto, praticidade e eficiência para o mesmo.
Espera-se que o faturamento supere a marca de R$ 1 bilhão anualmente, e que gere 1.700 empregos diretos e cerca de 10 mil indiretos. Além disso, a assessoria do FCTY afirma que o projeto possui embasamento em ideais de responsabilidade econômica social e ambiental, estimulando também o desenvolvimento cultural da região.
O Vetor Norte não foi escolhido à toa. O local é alvo dos maiores investimentos atuais do Governo de Minas Gerais, que se prepara para ser um dos pólos econômicos do Estado. Estímulos como a implantação da Linha Verde, Cidade Administrativa e a alta taxa de investidores da iniciativa privada em locais ao redor do Aeroporto Internacional foram relevantes para a escolha. Além disso, o Governo do Estado tem direcionado grande incentivo ao setor de mobilidade urbana, o que favorece o acesso à área.
A idéia concebida por Hamdam teve posterior apoio de profissionais da MVD Empreendimentos, Atitude Inteligência e Gestão Estratégica e do Grupo Mega Polo Moda, líder do segmento no Brasil. Além disso, parcerias com organizações como o Governo de Minas Gerais, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, entre outras, dão ainda mais impulsão ao projeto. “A implantação do Fashion City no Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte vai trazer uma série de benefícios para as cidades do entorno, como Lagoa Santa. O funcionamento do empreendimento cria empregos na própria região (Vendedores, Gerentes, Supervisores, arquitetos, contadores, consultorias, vitrinistas, estilistas, etc), o que resulta em mais qualidade de vida para as pessoas que hoje tem que se deslocar para BH para trabalhar. No período de obras, também há a geração de muitos empregos temporários. Além disso, o impacto ambiental do FCTY é positivo, uma vez que diminui a circulação de veículos em virtude dessa proximidade entre residência e trabalho. Outro impacto positivo é a criação de demanda para outros setores da economia, que beneficiarão a região do entorno no Fashion City, como hotelaria, restaurantes e turismo, englobando lazer e cultura. Há também a valorização da arte local, já que o artesanato regional passa a ser mais procurado, firmando a imagem do Vetor Norte como pólo onde a moda e a arte acontecem”, disse Hamdam, quando questionado a respeito dos benefícios econômicos e sociais à região.
Visando praticidade ao consumidor, vitrines virtuais de acesso a pesquisas sobre tendências de moda estarão disponíveis para análise no recinto. A praça de alimentação terá uma vasta gama de opções de restaurantes, com foco na agradável mescla entre gastronomia e lazer. Levando-se em consideração o conceito de open mall (shopping aberto), o projeto ainda contará com um boulevard (via de trânsito que facilita a circulação de pessoas e veículos) de 16 metros de largura, favorecendo a mobilidade. Afora isso, o planejamento prevê a execução de cursos e palestras, visando divulgação de informações acerca do mundo da moda, além de recursos específicos como área de eventos coberta e a céu aberto, passarela para desfiles e estacionamento. Haverá, ainda, um hotel devidamente desenvolvido para hospedagem de clientes.