Igreja Nossa Senhora do Rosário em Lagoa Santa corre risco de desabar a qualquer momento

Igreja Nossa Senhora do Rosário em Lagoa Santa corre risco de desabar a qualquer momento


Por Fabrícia Araújo
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

O JD – Jornal Diferente recebeu e-mail de José Roberto Amorim, intitulado SOS Cultura com os seguintes dizeres: “Vejam a situação em que se encontra a Capela do Rosário de Lagoa Santa. A reforma iniciada há poucos meses está paralisada. A proteção contra a chuva é patética. O descaso é chocante. O retábulo está sob goteiras. Há risco de total ruína. Alguém tem que fazer alguma coisa!”. José Roberto do www.quintaldospoetas.com também envia fotos e nos autoriza a publicá-las.
    Fundada no século XIX, no ano de 1858, a capela Nossa Senhora do Rosário situada em Lagoa Santa no bairro centro é considerada um dos acervos históricos mais importantes da cidade. Construída por escravos, a igrejinha foi erguida para que os mesmos pudessem freqüentá-la, uma vez que, naquela época, eram proibidos de entrar nas demais igrejas. Atualmente a capela é administrada pela igreja Nossa Senhora da Saúde, igreja matriz da cidade. A igrejinha que já apresentava sérios problemas ocorridos pela ação do tempo só foi tombada pelo Patrimônio Municipal em abril de 2006.
    Segundo informações de uma das zeladoras da capela, Dona Inês Silva Abreu Vianna a primeira alteração feita em sua estrutura, ocorreu em 1999, com a reforma do telhado. Segundo ela, essa reforma “manteve o telhado original da época de sua fundação”.  Dona Inês informou também que, “no mesmo ano, foram colocadas grades em torno da igreja, que antes estava toda aberta, reduzindo a sua área externa”.
    Com o objetivo de realizar novas intervenções em outras partes da igreja que precisavam ser restauradas com urgência, no início do ano 2000, a zeladora procurou patrocinadores para que as obras pudessem ser realizadas. Os patrocínios seriam concedidos pelo Banco Rural e também pela Soeicom, atual Cimentos Liz. Ao saber sobre as obras, a Prefeitura de Lagoa Santa embargou as mesmas.
   Inês S. Vianna - Zeladora voluntária Igreja N. Sra. Rosario A Prefeitura de Lagoa Santa só levou em consideração as reais necessidades da Igreja Nossa Senhora do Rosário em 2005, quando empreendeu a reforma do telhado, com a troca do original. Esta alteração trouxe sérios danos à estrutura da igreja. Segundo a zeladora, “a obra fez com que algumas partes das paredes rachassem por causa do excesso de peso colocado na estrutura do novo telhado. A madeira que dava sustentação também havia sido retirada”.
    Em 2006, foi feita mais uma tentativa de novos patrocínios. Desta vez, a zeladora conseguiu realizar parcerias com a Skol e também empresas locais, como a Casa Patrícia e as empresas Rubão, que disponibilizaram as latas de tinta para pintar as grades da igreja.
    No ano de 2010, Dona Inês foi designada pelo Padre Sebastião, responsável pela igreja matriz e também pela Capela Nossa Senhora do Rosário a comparecer ao Fórum da cidade, quando foi informada pelos bombeiros, que se fazia necessário a interdição da capela.
    Em agosto de 2012, a Prefeitura interditou a igreja, para sua reforma total. Em outubro, as obras iniciaram e em dezembro do mesmo ano, foram interrompidas.
    Perguntada sobre os motivos da paralisação, Dona Inês não soube explicar, mas disse: “Ao invés de realizarem melhorias, a igreja foi ainda mais danificada externamente”.
    Procurada pelo JD – Jornal Diferente, a FAOP – Fundação de Arte de Ouro Preto, responsável por realizar a sustentação da Capela Nossa Senhora do Rosário, através do Engenheiro Ney Nolasco, informou que: “os nossos serviços foram contratados apenas para fazer a estabilização estrutural da capela, pois ela corria o risco de desabar, devido ao seu avançado estado de degradação. A FAOP não foi contratada para fazer a restauração total e nem elaborou o projeto, apenas fez a estabilização”. Procuramos também, a empresa responsável pelo projeto, Estilo Nacional que informou através do Sr. Eduardo Alvim, sócio-diretor, que: “fomos contratados pela Prefeitura apenas para elaborar o projeto arquitetônico da Capela, não sendo de nossa responsabilidade a execução da restauração”.
    Com base nas informações acima, entramos em contato com a Assessoria de Comunicação do município, que nos informou por meio do Diretor do Turismo e Cultura, Fábio Férrer, que o motivo da paralisação dos serviços na Capela Nossa Senhora do Rosário foram para que o novo Prefeito se inteirasse da sua real necessidade. Ferrer confirma também que o serviço contratado foi somente para o escoramento e estabilização da mesma e diz que as obras serão retomadas ainda neste semestre. Ferrer termina dizendo que: “A Diretoria de Turismo e Cultura está providenciando todos os recursos necessários para “Recuperar e Restaurar” as capelas da cidade.
A título de informação complementar acrescentamos que o Projeto, obedeceu a edital do Fundo Estadual de Cultura em 2010 e foi aprovado pelo valor de R$ 150.000,00.