Segurança Pública: Cada vez mais, cidadãos acuados e indefesos

Segurança Pública: Cada vez mais, cidadãos acuados e indefesos


Nos últimos meses, comenta-se que o índice de criminalidade teria aumentado em Lagoa Santa, por isso o JD – Jornal Diferente foi às ruas ouvir o que pensam a população e autoridades locais. Segundo estatísticas; no Brasil comete-se 12% de todos os crimes do mundo. Raciocine: Um país onde cada habitante recebe em média - US$ 3.000 por ano e produz riqueza econômica próxima à do Canadá, nação de Primeiro Mundo, deve ter índice de criminalidade muito menor do que outro miserável, que gera 65 vezes menos riqueza e tem renda por habitante abaixo de US$ 500, não é mesmo? Em se tratando de Brasil, a resposta é não. O Brasil, o primeiro país do exemplo acima, tem proporcionalmente à população, 10 vezes mais homicídios por ano do que Gana, o país pobre. A principal causa da criminalidade não está na pobreza em si, mas na disparidade entre ricos e pobres num mesmo lugar. Raciocine também: Será que os Direitos Humanos protegem nossos jovens? Será que os direitos humanos defendem a vida de viciados e jovens infratores que precisam de recuperação e encaminhamento? Será que esses cidadãos são reinseridos na sociedade de forma exemplar, ou será que são meros objetos fadados à reincidência? Em geral os crimes de homicídio são cometidos por pessoas com idade até 30 anos e em geral 80% deles se encontram relacionados com as drogas. Esses jovens voltam às ruas com uma freqüência impressionante e cometem crime atrás de crime. Há  ainda que responder a uma outra pergunta: Será  mera coincidência que o aumento de crimes cometidos nos últimos meses se deu após a aprovação da Lei que coloca na rua quem comete crime cuja pena não passa de 04 anos? O que se percebe e o que apontam os gráficos é que após a aprovação desta Lei, a Polícia Militar, prende os delinquentes, os Delegados da Polícia Civil são obrigados a arbitrar fiança e o meliante não fica nem um mísero dia na cadeia. Talvez seja este, um dado a ser levado em consideração antes de se questionar somente as polícias. O que acontece agora é que logo após a prisão, o meliante paga a fiança e no mesmo dias acaba voltando às ruas sem punição a cometer novos crimes. Além dos assaltos, outro crime que vem apavorando os moradores de Lagoa Santa é o conhecido como Saidinha de Banco, e qual a solução para contê-lo?  Segundo o Comandante da Polícia Militar de Lagoa Santa, Capitão George, a solução é simples: Bastaria que as Instituições Financeiras  estabelecessem normas de segurança rígidas para dificultar as ações dos espertinhos ou que o Executivo ou mesmo o Legislativo aprovassem Lei obrigando essas instituições a tomar as medidas de proteção aos cidadãos. Capitão George - Comandante da PM de Lagoa SantaEm Lagoa Santa o Banco que já implantou normas de segurança rígidas, sugeridas pela Policia Militar, deixou de conviver com as famosas saidinhas, os outros ainda expõem seus clientes a perigo constante. Ainda, segundo o Comandante da Polícia Militar de Lagoa Santa, o índice local dos crimes contra o patrimônio continua igual, o índice de homicídios aumentou neste ano e 80% deles, estão relacionados com as drogas. Assegura um comerciante que foi assaltado 02 vezes neste ano: “A falta de presteza de governantes quanto à segurança do cidadão e o baixo número de policiais nas ruas (policiamento preventivo) contribui imensamente para o aumento dos crimes cometidos”. Vejam o que estabeleceu a Constituição Federal de 1988: “Os municípios passaram a ter autonomia constitucional para legislar sobre assuntos de INTERESSE LOCAL, bem como suplementar a legislação federal e estadual no que couber”. É o caso da segurança pública nos estabelecimentos financeiros, dentre outras prerrogativas. Tanto o Executivo, quanto o legislativo, já deveriam ter apresentado um Projeto de Lei para proteger a vida do cidadão em Lagoa Santa. A falta desta Lei favorece a ação de bandidos e contribui para o aumento da criminalidade. Junte-se a isto; as promessas em geral não cumpridas: um comerciante do centro da cidade pergunta: - há uns três anos foi apresentado pelo Executivo, de forma ostensiva um “projeto” que previa o monitoramento eletrônico em Lagoa Santa, uma bagatela que ajudaria a coibir muitos crimes que acabaram acontecendo. Por que não foi implantado? Será que a ação das polícias teria sido melhor?