Dr. Lund – O Pai da Arqueologia e da Paleontologia Brasileira “Parte 2”

Dr. Lund – O Pai da Arqueologia e da Paleontologia Brasileira “Parte 2”


Peter Wilhelm LundO texto abaixo servirá para pesquisas e trabalhos escolares. A saga de Dr. Lund, as riquezas arqueológicas da região, a história de Lagoa Santa estão resumidas e em capítulos e nesta segunda etapa segue o texto de Peter Moon, num trabalho magistral que serviu de tema para seu Doutorado em história da ciência.

Um Naturalista perdido nos trópicos.
A primeira visita de Lund ao Brasil aconteceu entre 1825 e 1829, quando morou em Niterói e estudou a flora da Mata Atlântica. De volta à Europa, obteve seu doutorado em Filosofia Natural, mas não conseguiu esquecer o Brasil. Resolveu voltar. Desembarcou no Rio de Janeiro em 1833 para uma temporada de estudos que deveria durar três anos. Ao lado do amigo prussiano Ludwig Riedel, que viria a se tornar Diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, empreendeu uma viagem de dois anos em lombo de burro através da província de São Paulo. Quando atingiram Goiás, os dois cruzaram o São Francisco e resolveram atravessar Minas para retornar ao Rio de Janeiro. Mas, ao passar por Curvelo, em outubro de 1834, Lund teve seu primeiro contato com as Cavernas do Vale do Rio das Velhas, repletas de ossos de Animais Extintos. Aquilo mudou sua vida. Lagoa do Sumidouro (Parque Estadual do Sumidouro)O homem cheio de vigor e de curiosidade reconheceu imediatamente o potencial científico daqueles Fósseis. Resolveu escavá-los, numa empreitada que acabou prolongando sua estadia nos Confins do Brasil por outra década. Entre 1835 e 1844, ele visitou cerca de 800 Grutas e Abrigos Rochosos, escavando 200 delas. O resultado foi uma coleção de 12 mil Fósseis, num total de 149 espécies. Ele descreveu 32 Espécies Extintas, sendo a mais famosa o nosso Tigre-dentes-de-sabre. A descoberta dos Homens de Lagoa Santa ocorreu em 1843, quando uma grande estiagem esvaziou a Lagoa do Sumidouro. Trata-se de um grande lago que, como o próprio nome indica, termina numa Caverna quase sempre submersa que escoa suas águas para o lençol freático. O naturalista aproveitou a oportunidade para, entre 29 de agosto e 10 de setembro, escavar todo o interior da Gruta. Os sedimentos lodosos escondiam Fósseis de Animais Extintos ao lado dos restos de pelo menos 30 Indivíduos de várias idades, de recém nascidos até idosos (Homens de Lagoa Santa). “Foi nessa mistura de espécies extintas e ainda vivas que apareceram os restos enigmáticos do Cavalo (Pré-Histórico) e do Homem, todos no mesmo estado de decomposição, de modo a não deixar nenhuma dúvida sobre a coexistência desses seres cujos restos foram enterrados juntos” escreveu o dinamarquês.